… e se for bem cultivada dará bom fruto e bela flôr, camará.. Iê viva meu Mestre!

Carbonfootprint

Essa calculadora de carbono é o maior peso na consciência, já pensei algumas atitudes para reverter essa situação!

Minha taxa de emissão deu 8,468 pounds of CO2 por ano! Na verdade não é minha somente por que inclui todas as pessoas da minha casa e os 2 veículos, então teoricamente é esse valor dividido por três. Mesmo reciclando lixo orgânico, e me fiscalizando para usar pouca água e pouca energia elétrica os números dizem: nosso estilo de vida não permite a reciclagem dos componentes naturais do planeta, eles se acumulam, se acumulam….

Faça o seu!

http://www.epa.gov/climatechange/emissions/ind_calculator2.html

Anúncios

Andam me perguntando sempre como estou, acho que com todo mundo acontece isso:

– “E aí cara, como você está?

E é sempre aquela resposta:

– “Estou bem, trabalhando, estudando… E você?”

 

Ao dialogar de forma tão automática poucos percebem o poder de ter clareza nessa resposta. É claro que ninguém gosta de ficar contando os detalhes sobre sua vida por aí, mas entender como sua mente/corpo/espírito estão interagindo em momentos da sua vida é o primeiro passo para satisfação pessoal. É bem verdade que isso não é muito fácil, mas basta fazer essa pergunta pra si e ser sincero consigo mesmo.

 

-Eu estou bem também!   

 

Também escuto me pergutarem se tenho dúvidas profissionais, poucos estudantes de biofísica não possuem dúvidas profissionais. Sim, eu faço biofísica. Muitos me perguntam sobre o curso com uma cara assustada pois a maioria não sabe que exisia. Faço ciências biológicas: modalidade biofísica, me formo como bióloga mas o instituto e as disciplinas são diferentes, minha ênfase é Toxicologia Ambiental. Faço na Universidade Federal do Rio de Janeiro e acompanhei o início do curso de graduação pois antes só existia o curso de pós no Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho. Isso fez com que a graduação ficasse com cara de pós: matérias pesadas, com poucos alunos, conteúdo extenso e alta atividade experimental. As principais vertentes de estudo são: biologia estrutural, bioinformática, biologia dos sistemas, biotecnologia e toxicologia ambiental.  Sempre baseado em conceitos físicos e bioquímicas aplicados a biologia e utilizando a informática e a matemática como instrumento.

“Julia, você é maluca! Você gosta desse negócio?

Sim, eu gosto mas não tenho facilidade. Não gosto de abrir mão do que me satisfaz para ter que estudar física e cálculo, quero ir à praia jogar bola, quero ir a capoeira, quero ir pro samba, quero ir pra Maré trabalhar com o que gosto, quero ler qualquer livro que não seja um artigo, quero estudar em qualquer lugar que não seja um prédio cinza com ar condicionado e poeira. . Gosto da possibilidade de dialogar com o mundo através do entendimento de diversos campos da ciência e absorver de um centro de excelência o que poderei usar depois de forma diferenciada e sustentável para a própria ciência

Durante esses 3 anos de faculdade sempre tive dúvida sobre o curso, mas como estagiei com divulgação científica e agora trabalho com educação ambiental e agricultura urbana, vi um universo de possibilidades que a universidade me proporcionava. Tive a liberdade de escrever em conjunto com uma amiga meu próprio projeto de extensão sobre um trabalho que há muito tempo idealizava e o prazer de ser aprovado e realizá-lo com estímulo da UFRJ, o Muda Maré (veja nos links!). Esse projeto é o que me fez ter mais firmeza em mudar a realidade, não tem mistério, basta querer e saber que será um caminho longo e cheio de desafios.

A minha dúvida está no meio desses parágrafos aí, e como comecei falando, poucos os jovens não possuem dúvida, pois ela nos instiga a escolher e a vida é entrelaçada por escolhas.

 As escolhas que nos encaminham para os sonhos e nos trazem a disciplina do desafio: 

Meu maior sonho é fazer o bem. É ver a cooperação como instinto natural do ser humano. É escutar palavras que sempre acrescentem idéias positivas. É ver nas boas atitudes alheias aquilo que um dia me esforcei pra ensinar.

Meu maior desafio atual é me formar, além de fazer bananeira descendo na cabeça e aprender outra língua. Os desafios a longo prazo vão ficar na minha mente audaciosa. =)

 

Como falei antes, trabalho com educação ambiental e agricultura urbana na favela da Maré no rio de janeiro e fui incentivada a escrever esse projeto através de um grupo de agroecologia que participo que me ajudou a pensar nas causas ambientais de uma forma social. Além disso, nosso campus universitário é muito próximo a comunidade, mas mesmo assim a pouco diálogo entre esses territórios. Nossas ações na comunidade não são pontuais, queremos criar laços e por isso diversificamos nossas atividades, sejam elas em sala de aula, na praça, do lado de um valão ou na biblioteca. Por isso temos que reinventar aquele espaço junto com os moradores para que eles se sintam capazes de transformá-lo de acordo com suas demandas. Nesse tempo que atuei lá pude aprender muito sobre a relação do homem com a cidade em contextos diferentes e por isso acho que participar do Guerreiros sem Armas 2012 vai me ajudar ainda mais a expandir essa visão e me dar mais instrumentos para saber como intervir e gerar frutos.

 

Germinando

O começo de uma raiz

Através do virtual

Imaginado pelo gosto

Guiada pela mudança.

Acreditar e interferir

Diante da Cidade Maravilhosa

Muito planos a seguir

Muitas idéias a praticar

Estou aqui,

O acaso é sábio

E por isso ele não há

E o que há certo.

E o certo que não existe

Junto com errado que persiste

No final da verdade

O que sabemos da diversidade?

Respeitar as escolhas

Diante dos vários terreiros,

Aqui me encontro,

No Caminho do Guerreiro.

Nuvem de tags